cool hit counter

Artigos

Receitas

Entrevistas

Restaurantes

Livros

Vinhos

Degustações


21.10.06

A voz da razão

Cheguei à conclusão que revistas femininas e de gastronomia têm algo em comum além de receitas. As capas de ambas claramente têm um mesmo objetivo: causar impacto – e sempre uma ponta de inveja - com o resultado de suas produções de mulheres e pratos maravilhosos. No primeiro caso é normal escutar as leitoras conversando na banca de jornais:
- Nossa, que cabelo lindo tem a Juliana. Queria um igual.
- Mas isso é tudo produção, fotochópi. Ou você acha que ela sai de casa assim todo dia?
- Você está dizendo que eu nunca vou poder ter um cabelo assim?
- Só quando você for capa de revista também, querida.
Com os homens e as revistas de gastronomia acontece mais ou menos a mesma coisa, só que a nível de pensamento:
- Que espetáculo esse mil folhas de morango. Será que dá para eu fazer em casa?- Pensa o cozinheiro amador olhando uma capa belissimamente produzida e fotografada com a sobremesa em questão.
- Claro que não!- surge a voz da razão – Aí tem muita produção e, além do mais, foi a Roberta que fez e o Sérgio que fotografou, não você.
Eu já tinha desistido. Capas de Gourmet, Gula ou de Prazeres da Mesa continuam me impressionando pela beleza e elaboração, mas já não me fazem querer reproduzi-las há muito tempo. Olho para elas como para um quadro. A única diferença é que fico imaginando o sabor e como foi feita. Mas não é que a voz da razão surgiu outro dia dizendo o contrário do que sempre me disse?
- Paco, se não der para fazer essa, nunca mais falo com você. – Ameaçou.
Como era de se esperar, ela tinha razão. Não só consegui reproduzir a imagem dentro das minhas limitações fotográficas, claro, como posso dizer sem falsa modéstia, que meu prato ficou melhor do que a receita da revista.
Era uma linda capa da Gula com uma batata assada e um ovo por cima. "Ovos Parmentier por Rosalie Häfeli", dizia a legenda. Provavelmente você reconheceu o sobrenome do prato. Ele está em muito outros que a gente vê nos livros e cardápios por aí. Vem de um francês responsável por introduzir a batata na dieta francesa e européia, o que não quer dizer que ele tenha criado esses pratos todos que levam seu nome. São só homenagens merecidas.
Então, já que todo mundo pode homenagear o francês, eu também posso.
Batata Parmentier caipira
Pegue uma batata bem grande, enrole no papel alumínio e asse no forno até que esteja cozida mas firme. No meu forno elétrico demorou 1:15h.
Enquanto isso, tire a pele e pique meia lingüiça (eu usei a Fininha da Sadia). Frite para ficar crocante. Seque bem e reserve.
Corte uma tampa da batata assada na horizontal cuidando para que ela fique bem apoiada no prato. Não pode ficar tombada para um lado.
Esvazie a polpa deixando uma camada junto à casca.
Faça um purê com a polpa da batata, creme de leite, manteiga, sal, pimenta, noz moscada e um pouco de queijo parmesão. Acrescente a lingüiça e esquente bem na panela.
Encha a batata com o purê deixando um dedo até a borda.
Separe a gema de um ovo, misture parte da clara no purê dentro da batata e coloque o resto por cima.
Leve ao forno por cinco minutos até a clara começar a embranquecer. Retire do forno, coloque a gema sobre o purê e volte para dentro do forno por mais dois ou três minutos só para cozinhar um pouco a gema que deve ficar bem mole. Sirva fumegante.
Além de muito saborosa, simples e diferente, essa batata é ótima para acompanhar uma costelinha assada, por exemplo, que demora mais ou menos o mesmo tempo para preparar. Ela pode ser “desvirtuada” do jeito que você quiser colocando espinafre, bacon, queijo, etc.
Reconheço que minha batata não ficou nenhuma Juliana, seria muita pretensão. Mas pelo menos ainda não foi dessa vez que a voz da razão me abandonou.

Marcadores:

7 Comments:

Anonymous kats said...

e não é que a sua batata ficou mais bonita mesmo? hmmm, cara de comida reconfortante! mas 1h15 de forno elétrico é um pouco 'desconfortante' pro meu pobre bolso, hehe. abs!

19/10/06 19:47  
Anonymous Roberta Malta said...

Tá sensacional a sua batata! Muito melhor que a da Gula que dispõe de incríveis recursos de produção fotográfica. Arrasou senhor Paco Torras! Menino, eu te dou grau 10!bj.

20/10/06 13:16  
Blogger eduardo lima said...

Caro Paco,

Quem gosta das fotos dos pratos de capas de revistas não imagina o gosto de mock-up de isopor com verniz cryl over que eles têm. Mil vezes a sua foto, sem verniz, sem ovo de plástico e sem gelo seco pra mostrar que tá quentinho.

20/10/06 16:24  
Anonymous Pedro Mello e Souza said...

Gostei da foto do teu ovo parmentier, mesmo sem fotochópi. Vou tentar o meu (caipira II) e te dou notícia.

21/10/06 13:32  
Blogger Ane Brasil said...

Ai ai... e eu que só sei fazer arroz, feijão e macarrão?!
Acho que não vou mais ler você... vai que nego véio descobre esse blog no histórico e passa a cobrar maior variedade na cozinha! Aí, tô frita!hehehehehe
(bom, pelo menos eu tenho o cabelo igualzinho ao da Juliana Paes... hehehehe)
Sorte e saúde pra todos!

21/10/06 15:27  
Anonymous Cris Campos said...

HHmmm, Paco, receitinha tentadora! Me animou mais do que a capa da Gula! Bjs

21/10/06 23:58  
Blogger Rê Vidal said...

Nossa, Paco, que coincidência, heim!? E eu moro pertinho da Praça do Japão!!!!! Você deveria vir a Curitiba, os restaurante são muito bons, afinal, Curitiba não é nenhuma metrópole, mas tem bons serviços. O Terra Madre ganhou um prêmio em São Paulo mas não sei te dizer qual é. Estou fazendo uma pós em hotelaria, eventos e gastronomia e minha tese vai ser sobre gastronomia. Se pintar alguma dúvida, vou falar com vc, viu!? Parabéns pelo blog, é bem bacana. Ah, já conseguiu emagrecer seguindo a dieta dos franceses????
beijocas
Renata

22/10/06 21:00  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home