Degustação cega. And the winner is...

Para quem não leu o post anterior, o Bistrô Carioca promoveu na semana passada sua primeira degustação cega de cervejas. Analisamos sem preconceitos, afinal não sabíamos quais marcas estávamos provando, e tendo como única referência nossa larga experiência em beber cerveja, a cor, o colarinho e o sabor – que foi usado como critério de desempate - de nove louras nacionais escolhidas entre as consideradas premium no mercado.
Antes dos resultados posso adiantar que todas as propostas iniciais da degustação foram alcançadas. Provavelmente mudamos a nossa cerveja de todo dia, derrubamos alguns tabus e uma marca em especial, confirmamos claramente uma suspeita, aprendemos bastante comparando as amostras e principalmente nos divertimos muito mesmo. É um programa que recomendo com veemência.
Então vamos ao que interessa. And the winner is:
1º Lugar
Eisenbahn Natural - 69/80
2º Lugar
Devassa Loura – 56/80
3º Lugar
Skol – 51/80
Essas três realmente se destacaram e a Skol, para mim, surpreendeu. As duas primeiras são daquelas quase artesanais sendo que a Eisenbahn deu de goleada nas outras, sua superioridade em todos os quesitos foi de chamar a atenção, bem como seu preço acima dos R$ 5,00. Junto com a Devassa mostrou que esta forma que parece mais cuidada de fazer cerveja produz ótimos resultados. O terceiro lugar da Skol foi a confirmação que brasileiro entende de cerveja. A mais vendida ficou na frente das premium fabricadas pela mesma empresa. Além disso, é a mais barata, não chega a R$ 1,00. Em seu favor pesa também que das três é a mais leve e a que, em nossa opinião, seria a escolhida para ser degustada em grandes quantidades.
4º Lugar
Heineken – 48/80
5º Lugar
Stella Artois – 48/80
6º Lugar
Kaiser Gold – 44/80
Este grupo parece o samba-do-crioulo-doido pois junta cervejas com sabores marcantes – embora só uma tenha sido reconhecida – mas diametralmente opostos. A Kaiser Gold foi para mim a grande surpresa positiva do evento. Encorpada, tem personalidade na cor e no sabor e só não ficou melhor colocada porque um dos jurados não gosta deste tipo de cerveja. Vale a pena esquecer qualquer cicatriz que a Kaiser tenha deixado, o que não é difícil, e provar. A Stella e a Heineken não foram capazes de suplantar o sabor corretíssimo e sem surpresas da Skol.
7º Lugar
Bohemia – 44/80
8º Lugar
Brahma Extra – 44/80
9º Lugar
Sol Mexicana – 41/80
A Bohemia foi a grande perdedora da noite. Colocar-se neste último grupo não condiz com a fama e a história desta cerveja que tão bons serviços prestou. Uma pena. A Brahma mostrou que de extra só o nome e a Sol, bem, a Sol sem um limão enfiado no gargalo está no lugar certo.
Depois de conhecidos os resultados, comparamos algumas cervejas duas a duas e em nenhuma das provas repensamos a posição de qualquer amostra. A Brahma Extra é muito inferior a Stella e a Heineken. A Bohemia poderia ter tomado o lugar da Kaiser mas não seria merecido. Sua fama não condiz com seu sabor atual e merece esse castigo.Para finalizar acho que posso dizer que a Skol é a mais vendida do país porque ela não pretende ser nada mais que um cerveja correta, não tem um sabor diferente que prevaleça, tem um suave amargor característico da boa cerveja e o corpo necessário para agradar quem gosta de cervejas leves e não tão leves.
Tenho certeza que outro grupo de cervejeiros chegaria a alguns resultados diferentes pelo meio da tabela, mas duvido que a Eisenbahn não fosse a vencedora, ela é muito superior às outras e vale a pena ser provada, e que a Sol sem o limão, não ficasse lá para baixo, ainda mais quando comparada mano a mano com a Skol e até com a Bohemia.
O próximo passo é pegar essas três ou quatro primeiras e comparar com as importadas tipo Sapporo, Paulaner, Chimay e Duvel, que apesar de excelentes cervejas talvez não casem muito bem com o paladar brasileiro, ou pelo menos com o paladar aqui do Jardim Botânico.
Mas a próxima degustação do Bistrô vai ser parecida no conceito mas bem diferente no produto: chocolates degustados por quem tem o assunto no DNA, as mulheres.

Comentários

Paco Torras disse…
Dan, Dario e MD, obrigado por participarem virtualmente da nossa degustação. Foi um prazer tê-los aqui no Bistrô pela primeira vez. Aguardo agora seus comentários sobre esse resultado que não quer dizer absolutamnete nada!
PF disse…
Paco,
Como disse anteriormente tenho certeza que se a Baden Baden estivesse entre as degustadas a Skol teria caído para 4º lugar. Porém ainda seria um lugar extremamente honroso, visto que ela é fabricada em massa e não artesanalmente como as outras. De fato, para tomar em quantidades, como em um churrasco, é a melhor pedida sem sombra de dúvidas.
A Bohemia foi uma tristeza... anos-luz de distância de nossa memória gustativa dos anos 80.
Já a Sol, como voce sabe, nunca considerei cerveja. É um completo lixo. Na minha votação levou 4 nos possíveis 20! No entanto, surpresa excelente, neste domingo provei a Sol brasileira e é outra coisa! Encorpada com um sabor marcante, bela cor e belo colarinho. Se tivesse entrado na degustação arrisco dizer que poderia aparecer em 3º, à frente da Skol. Experimente e veja o que acha.

Abraços,
PF
Cris Campos disse…
Hmmm, degustação de chocolates...agora vc falou a minha língua! É verdade que adoro uma cervejinha gelada. Mas os chocolates estão mesmo no meu DNA. Mal consigo passar um dia sem me deliciar com um belo exemplar. Bjs
Kats disse…
Sensacional, Paco! Não sou fã de cerveja, mas sempre que 'preciso', tomo Skol. E parafraseando seus "enochatos", é a melhor relação custo-benefício, hehe. abs!
Anônimo disse…
fala paco!! temos ai um teste entre cervejas comerciais (skol, kaiser, nova sol) versus artesanais ( Baden Baden, DEVASSA e Eisenbahn ). realmente nao tem comparaçao.
como nosso amigo, me surpreendi tb com a nova "kaiser" sol. entre ela e uma skol num churrasco vou agora de SOL!! mas creio que este sabor, este cuidado na produçao dure ate ganhar mercado...depois é fermentaçao de semente de algodao, arroz... e muita curcuma para dar cor!! :o)
agora, qdo estou a fim de beber algo justo, tenho comprado a Long Neck CIDADE IMPERIAL de itaipava. esta a venda na deli CANDY no condado de cascais na barra!! é uma grata cerveja!!
abraços e saude,
MD
Roberta Malta disse…
Paco,

segundo JM (pra quem não sabe, um especialista em degustações) sua degustação cega tá correta. Ele disse que a degustação de cerveja é como a de vinho, não tem uma regra rígida. Disse que a de vinho parte de três ítens de classificação: cor, aroma e gosto. Daí pode-se incluir o que quiser, algumas chegam a ter 14 ítens.Mas o básico são estes três, suficientes para determinarem a qualidade. Com a cerveja a mesma coisa. Falou que tem gente que põe doçura, amargor, etc, mas que que vc acertou no primordial. Falou tb que o sabor ter peso 2 está certo. Ponto para o Bistrô Carioca!
É isso, fiz direitinho o dever de casa, hein?
Quanto ao resultado, no comments: não bebo cerveja, segundo Sudbrack, um de meus maiores defeitos! Ninguém é perfeito, tento compensar no resto...beijo
leila disse…
skol ganhando da stella artois???????
Paco Torras disse…
Leila, prá vc ver o que faz uma degustação cega....Mas na minha classificação pessoal a Stella ficou em segundo e a Skol em quarto atrás da Devassa.
träsel disse…
eu mudaria pouca coisa nessa lista. eisenbahn é a melhor cerveja do brasil e não tem discussão.

certamente colocaria a kaiser gold no lugar da skol, talvez mesmo no lugar da devassa, que tomei esses dias e achei medíocre [mas talvez seja pela distância que a pobre teve de viajar até o meu supermercado].

a bohemia está medíocre há tempos e a braham extra decaiu muito.

quanto à skol, estou surpreso. venceu pela irrelevância do sabor? hehe. acho válido existir uma cerveja leve pra tomar num churrasco à beira da piscina, mas não colocaria no topo da lista.

também acho que faltou vocês provarem a bavária premium, que é puro malte e anda bem boa, e talvez outras na mesma categoria da skol. por incrível que pareça, provei a tal "nova kaiser" e achei tomável.
emi.kanter disse…
Sobre as cervejas, no geral concordo. Prefiro Stella à Skol. Brahma extra merece o apoio em relação à Bohemia, que virou uma grande decepção.

O que me impressionou, porém, foi a coragem de vocês. Parabéns. Dar a cara não é fácil!
Renato disse…
Senti falta da Itaipava e da Original nesta lista. Boas cervejas sem o custo excessivo das cervejas artesanais.
Qunato à DEVASSA, fala sério! Aquilo parece água de conserva de cogumelo.
Paco Torras disse…
Faltaram várias cervejas como a Miller, a Itaipava e a Original sem falar na Schin, Brahma, Antártica, Cerpa...mas degustamos nove! cervejas...não é pouco.
Renato, tenho certeza absoluta que numa degustação cega como a nossa, vários pré-conceitos como o seu contra a Devassa são quebrados. Lembre-se que ninguém sabia quais marcas estavam sendo provadas. Teste e comprove vc mesmo. A surpresa é ótima! Volte sempre.

Postagens mais visitadas