Duas lá do Norte

Thomas Keller, que é o único chef americano com dois restaurantes 3 estrelas no Michelin, o French Laundry e o Per Se, abriu em Setembro uma nova casa com uma proposta que só um cara com esse pedigree pode fazer.
Segundo ele mesmo diz, o Ad Hoc já nasce com seus dias contados, só que nem ele sabe quantos dias são. Pode ser que feche amanhã ou que na páscoa ainda esteja aberto. Tudo depende. Mas isso não é o mais importante, o bacana da proposta é que enquanto o restaurante existir, qualquer um pode ir lá quantas vezes puder sem nunca repetir um prato. Além disso, Keller sabe exatamente o que cada cliente vai comer e quantos vão entrar no Ad Hoc, um sonho para qualquer dono de restaurante. Como ele faz isso? O restaurante só aceita clientes com reserva - embora digam o contrário - e oferece só um menu fixo de quatro pratos diferentes por dia. A comida é aquela tradicional americana, com carnes, assados e batatas, elevada ao nível de gastronomia. Outra característica da casa, que confirma seu DNA, é dar preferência aos produtos e produtores da região, como fazem tantos bons restaurantes da Califórnia.
Se por um lado pode parecer desperdício comer um simples assado preparado por um chef estrelado, por outro, a marca Keller é quase garantia de que, seja qual for o menu do dia, por mais simples e caseiro que possa parecer, tem grandes chances de ser daqueles para lembrar por muito tempo. O menu prix fixe custa módicos US$ 45,00 mais bebida, preço de um bom jantar tupiniquim. O menu da foto é de 06/01 e foi tirada pelo Michael Chu do ótimo Cooking for Engineers que esteve lá.

Mais para o norte, em Toronto, tem uma turma que inventou um programa semanal incrível. A idéia deles é jantar em todos os restaurantes da cidade na ordem alfabética em que aparecem nas Páginas Amarelas da cidade. São os Serial Diners. Desde 1989 eles já foram a mais de 400 restaurantes e pretendem chegar na letra Z por volta do ano 2035. O grupo tem em geral 30 pessoas, mas qualquer um pode participar sem nem mesmo fazer inscrição ou reserva, é só olhar a agenda e chegar. Seguindo o alfabeto, algumas palavras como café levaram quase seis meses para serem cobertas e em Janeiro eles estão na letra I onde abundam japoneses e italianos. Até hoje o grupo não perdeu nenhuma sexta-feira, nem quando é Natal, e só deixam de comer em um lugar previsto quando encontram o restaurante fechado ou muito cheio. Decepções devem fazer parte do programa embora o fundador do grupo (na foto com seus instrumentos de trabalho) diz que em geral os restaurantes são no mínimo decentes.
É sem dúvida uma ótima oportunidade de conhecer novos lugares e pessoas, que precisa de um grupo comprometido para ir a diante, mas que parece impossível em uma cidade do tamanho do Rio ou São Paulo. Se por acaso você visitar Toronto em qualquer sexta-feira dos próximos 28 anos, não perca a chance. A programação dos Serial Diners está aqui.
Ad Hoc (enquanto existir)
6476 Washington St., Yountville, CA.
Tel: 707.944.2487.
Serial Diners
http://www.probability.ca/diners/
Jason Taniguchi - Tel: (416) 516-0743

Comentários

Roberta Malta disse…
Tb não acho desperdício comer um assado de um chef estrelado, acho demais! Nada de invencionices e pontos de cocção e cortes perfeitos. Deveria existir mais desses.
Agora, a gente podia fazer um grupinho desses hein? Uma vez por mês, Rio e SP, q tal?
PF disse…
Paco,
a idéia do "serial diners" é fantástica!
Roberta, já pode considerar um casal no grupo de São Paulo. Infelizmente não visito à minha Cidade Maravilhosa a não ser em feriadões... Paco, quem sabe com esse grupo voce não vem finalmente visitar Sampa?

Abraços,
PF

Postagens mais visitadas