cool hit counter

Artigos

Receitas

Entrevistas

Restaurantes

Livros

Vinhos

Degustações


19.7.08

Saudades, Lulu

Quem acompanha o movimento dos restaurantes cariocas já sabe que o Lulu no Jardim Botânico mudou. Sabe também que agilidade não é o forte do Bistrô e que aqui a proximidade de um restaurante é em geral inversamente proporcional ao meu movimento de ir até lá. O que não quer dizer de jeito nenhum que tenho uma atração especial por restaurantes longe de casa, muito pelo contrário, quanto mais perto melhor. Se você entendeu essa (in)coerência minha, vai entender direitinho o que tenho a dizer sobre o ex-Lulu.
Lulu era um restaurante bastante bom em vários aspectos: bom menu, boa comida sem afetação, serviço legal, fácil acesso e, apesar de tudo isso, sem filas. Aí entraram novos sócios, fizeram uma reforma que mudou a porta de entrada e deu uma ótima varanda de esquina, diminuiu o bar, aumentou a quantidade de mesas no segundo andar e cobriu um pedaço do terraço no terceiro. Alguns pratos ficaram no cardápio ao lado de outros novos e, então, um belo dia, Lulu renasceu de nome novo. Lulu agora é Lorenzo.
Terça-feira estivemos lá para conhecer a nova casa, e mesmo antes de entrar tivemos uma boa e uma má impressão. A boa é que a varanda ficou ótima, impensável uma esquininha daquelas sem varanda. Pode até virar point do bairro para uma bebidinha. A má impressão foi que tinha fila mesmo com mesas vazias lá dentro como descobrimos logo depois. Esse desencontro se repetiu ainda duas vezes na noite.
Desacostumados a ver o Lulu cheio como estava, já de cara bateu aquela decepção de não ser mais um restaurante tranquilo, mas agora Lulu é Lorenzo e tínhamos que lembrar disso, embora o cardapio não ajudasse muito. Nem o carápio nem o couvert que continua ótimo com foccaccia, grissinis, azeite, alho assado inteiro e rabanetes. Pedimos duas taças de espumante como sempre fazíamos mas, ao invés de voltar com a bebida, o garçom voltou com a carta de vinhos para dizer que não havia mais espumante em taça mas tinha uma mini garrafa que servia dois copos. O mesmo aconteceu logo depois com o copo de Cabernet que tinha mas depois não tinha. Acabamos jantando só com espumante argentino mesmo. Aqui cabe um parêntese grave: Na carta de vinhos do Lorenzo não tem nenhum, repito, nenhum vinho nem espumante nacionais. Muito triste, quase vergonhoso só oferecer importados quando temos aqui vinhos e principalmente espumantes melhores em qualidade e preço do que muitos dos oferecidos na carta. Dá vontade de jantar com cerveja só para protestar.
O cardápio do Lorenzo ainda tem aquele jeitão de “comida italiana moderna mas nem tanto" do Lulu agora ao lado de pratos típicos de bistrô francês. Uma incoerência apoiada na simplicdade das duas cozinhas regionais, que para mim faz todo o sentido. O menu é muito bom, estão lá destacados vários pratos remanescentes do Lulu como o confit de pato, risotos, o cabrito e algumas sobremesas. Mas o tartar de legumes com queijo de cabra que fazia enorme sucesso na nossa mesa, sumiu.
Eu acabei escolhendo o mais básico dos pratos de bistrô francês, medalhão de filé com molho bernaise e batatas fritas, pois acredito que é na simplicidade que reconhecemos um bom restaurante. A madame, com seu talharim com camarões e rúcula, não foi muito mais longe do que eu. Mesmo assim, sem querer abusar, sem buscar nada além de uma comida básica na linha que a casa se propôs, chegamos juntos à mesma opinião sobre os pratos: sem graça.
O dela ainda tinha mais oportunidades para os sabores que acabaram por não aparecer. No meu o filé e o molho estavam corretos mas as batatas fritas eram quase um desastre. O prato mal arrumado e sem nenhuma decoração não era nem um pouco apetitoso. Não me lembro de ter pedido sal ultimamente em nenhum bom restaurante, mas no Lorenzo não deu para escapar. Batata sem sal é demais.
A sobremesa tampouco agradou. A torta de limão siciliano era muito forte para ser servida à sêco no final de uma refeição. Dividimos mas não conseguimos terminar. O serviço, apesar de simpático, foi um pouco confuso e desatento. E a conta de R$160,00 acabou sendo alta para a experiência.
No final ficou parecendo que Lorenzo não quer largar Lulu mas ao mesmo tempo quer mudar de vida, se abrir para a rua, experimentar coisas novas. Esse dilema, evidente no cardápio e na reforma que a casa sofreu, parece agradar à clientela, eu incluído, mas na cozinha Lulu e Lorenzo têm que se entender melhor.
Até cogito voltar ao Lorenzo para comer na varanda umas ostras com um chablis - ou uma cerveja se eu estiver num dia patriótico - mas, no fim da noite, o que ficou foi mesmo foi a saudade do Lulu.

Marcadores:

5 Comments:

Blogger Constance Escobar said...

Não cheguei a ir ao Lulu (também não sou das mais ágeis, Paco!, uma pena. E ainda não fui ao Lorenzo, mas outro dia a Luciana Fróes escreveu falando tão bem de lá... De repente, o Lorenzo não estava num dia bom nesta terça... Isso acontece. Outro dia fui, pela primeira, vez ao Zuka, apesar de mora no Leblon há duas décadas - olha a agilidade aí de novo! - e nada (nada mesmo!) do que comi me impressionou. E, no entanto, é um restaurante respeitadíssimo. Vou voltar qualquer dia pra tirar a prova dos nove e ver se não foi só um dia ruim do Zuka. Volte ao Lorenzo sim. Mesmo os bons restaurantes têm seus dias ruins... Quem sabe não foi isso?

20/7/08 11:44  
Blogger Paco Torras said...

Constance, concordo com vc mas aqui temos dois agravantes: primeiro o Lorenzo É o Lulu, não é outro restaurante. Tem a mesma dona, mesmos pratos, mesmo lugar. Segundo é que essa já foi uma visita para confirmar o que a madame achou na primeira vez que esteve lá: sem graça. Mas tudo bem, pela varandinha vou lá outra vez :).

20/7/08 16:55  
Anonymous Luciana said...

Bom, gente, como moradora de São Paulo e tendo ido poucas vezes ao Rio nos últimos meses, não tenho como opinar sobre o Lorenzo, especificamente. Mas concordo com o seguinte: "é na simplicidade que reconhecemos um bom restaurante". Voilà.
Abs

21/7/08 19:01  
Blogger espressa-mente! said...

pois é paco a sua critica vem a se somar ao que li neste blog
http://levinaublog.blogspot.com/2008/07/durigutti-bonarda-2005.html
depois de ler uma otima critica feita pela lu froes, estes clientes tem que passar por tantos contra-tempos!
nao se justifica ja que nao é um novo restaurante e sim um restaurante renovado!! maximas como "seu vinho acabou.." e
seu cartão não está funcionando"...gozado é que é sempre o "meu cartão", nunca o problema é do restaurante! nao colam mais diante de uma conta de 240 reais!!!

23/7/08 13:53  
Anonymous Anônimo said...

Tenho lido sobre o Lorenzo e sempre escrevem as mesmas coisas... Nao deve estar bom mesmo.

http://tomilho.wordpress.com/2008/09/22/lorenzo-bistro-rio-de-janeiro/

11/3/09 00:29  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home